Escolha uma Página

Frank Matos

Depoimento - aluno Frank Matos

Eu estou em um dos momentos mais felizes da vida, concretizando a realização do meu objetivo profissional, estou inserido em uma das maiores empresas da construção civil do Brasil. Tudo começou com o Habilidades para o futuro, onde eu obtive contato com a divulgação do processo seletivo do curso em minha rede social. Fiz o processo seletivo e de etapa em etapa eu fui avançando, foram tantos jovens que participaram e não conseguiram ter o mesmo resultado, eu sou privilegiado!

O Habilidades para o Futuro acreditou em mim, antes de eu acreditar no meu potencial. O acordo foi simples, nós como instituição fazemos cinquenta por cento e os outros cinquenta por cento é “com vocês” ( considerando os outros jovens que foram parte importante para a chegada no objetivo final, foram muitas atividades em coletivo e apoio uns aos outros). E lá fui eu encarar uma caminhada de aprendizados, foi doloroso, eu não vou negar.

A área de conhecimento de desenvolvimento pessoal e social me colocou de frente com todas as questões que eu fugia há anos, que era ter o conhecimento sobre quem sou eu e o que eu desejo no mundo. Um processo de várias questões, abordadas pelo material didático do curso, pela educadora Aline Manaroulas e a coordenadora do curso Lucilli Parolini, duas mulheres fabulosas, humanas, sensíveis, carismáticas, prestativas e solidárias. Em conjunto, tivemos estudos nas áreas de conhecimentos dos Contextos das relações do trabalho com o Daniel Barros e Tecnologia da informação e comunicação com o Lucas Raposo na plataforma EAD.

Fui contemplado de um suporte educacional nunca me prestado antes, uma equipe enorme que possui vários colaboradores e investidores, fazendo o curso acontecer de forma qualificada, criando as melhores condições para os nossos estudos de forma remota.

Cheguei no meio do curso cheio de gás, não me reconhecia, não era e não sou mais o Frank desorientado na vida.
Eu não tinha a visão que o HF me transformaria por inteiro, foi acontecendo tudo numa linha crescente. Quase na metade do curso fomos informados que conheceríamos a Marcela Toledo, a tal responsável pela inserção dos jovens no mercado de trabalho. Que medo!

Entrei na chamada de manhã e lá estava ela, elegante, sorridente e pronta para nos aterrorizar. Brincadeiras a parte, mas pensa em uma mulher assertiva, fala de forma precisa e pontual. Os encontros com elas foram para falar sobre o mercado de trabalho, currículo e oportunidades. A partir desse primeiro contato, ela passou a disparar vagas de trabalhos no grupo de whatsapp, pedindo para que os jovens avaliassem cada vaga de acordo com o perfil de cada um.

E lá fui eu com as minhas inscrições, Uber, Mercado Livre, Hospital Albert Einsten, Unilever, Hospital Beneficência Portuguesa, Seguradora Mapfre e tantas outras oportunidades que vagam na cabeça. Até a escrita desse texto nenhuma resposta surgiu dessas empresas descritas.

Mas é aquele ditado, o que é seu está guardado, e eu já tinha sido contatado dias anteriores para a minha entrevista na Cyrela, a qual me deixou bem inseguro e nervoso.

A primeira etapa do processo seletivo me pediram uma apresentação de cinco minutos, com base em três assuntos apresentados por eles, para eu fazer a escolha dentre as opções e apresentar no dia marcado. Tudo aconteceu de forma remota, o medo bateu na barriga, mas é aquele ditado, está com medo ? vai com medo!. A iniciativa partiu de mim e fui o primeiro a me apresentar, fiquei com uma sensação muito satisfatória, tudo ocorreu como o planejado. Encerraram as apresentações, pediram que cada candidato respondesse à seguinte pergunta, “o que você quer ser quando crescer?”.

E seguindo a ordem de apresentação, chamaram, Frank começando por você. Eu me ousei ao falar e disse, me vejo como uma figura pública para levantar alguns ambiciosos projetos, ter sucesso na área de minha atuação e se conseguir, me tornar alguém memorável; palestrante. Pronto, analisei o que eu poderia ter dito e o que não conseguir comunicar, os seguintes candidatos responderam com as seguintes profissões, arquiteto, engenheiro, design de interiores e técnico de edificações.

Me julguei por vários momentos, idealizando que já tinha encerrado qualquer probabilidade de oportunidade pra mim. Segui com outras candidaturas e outros processos seletivos, até que recebi um e-mail da Cyrela falando que os jovens selecionados para o canteiro de obras já tinham sido selecionados, mas que tinha vagas com o meu perfil no escritório e se era do meu interesse. E sem pensar eu exclamei que sim, após minha resposta eles marcaram uma entrevista com a Gestora de Tributos.
Uma entrevista surreal, fique tenso, por se tratar de uma área que não era do meu domínio e conhecimento. E lá fui eu mais uma vez para a reunião que tinha sido marcada para o mesmo dia em que entraram em contato comigo, conheci a Mara, ela se apresentou e pediu que eu fizesse o mesmo. Disse que eu tinha pinta de artista por meu histórico profissional e de formação e nisso eu a informei que essa seria uma experiência totalmente nova, mas que estava disposto a encarar esse novo mundo. Me informou dos detalhes da rotina da vaga e disse que na próxima semana entraria em contato com o aprovado.

Duvidei, pensei que não tinha rolado pra mim.

Eis que na próxima semana, vulgo três dias atrás, fui informado da minha admissão. Posso informar que foi a maior comemoração, pulos, gritos e tudo que eu tenho direito. O processo seletivo que eu tomei como impossível, se tornou possível. Deparei com comentários que seria difícil, foi interpretação que eu obtive nos bastidores entre eu e os meus colegas de curso sobre os processos seletivos da Cyrela. Mas eu consegui, já me ligaram, recebi a carta proposta e realizei a minha inscrição para me tornar um novo colaborador da Cyrela!

Habilidades

Postado em

julho 6, 2021

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.